segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Correr

Correr é um movimento natural do ser humano, mas simplesmente correr é o suficiente? Qual a velocidade? Qual a intensidade? Existe "zona de queima de gordura"? Vamos descobrir!
Primeiramente é preciso saber correr, é preciso ter uma biomecânica do movimento correta, ou seja movimento que sejam produtivos em uma ação motora eficiente, para isso é preciso ter:
-Posicionamento corretos dos braços
-Pisada correta
-Impulsão correta
-Aproveitamento da força elástica da passada anterior
-Coordenação intra e inter muscular

*Para melhorar isso procure realizar exercícios educativos, como corridas posturais, passos sobre hurdles, escadas de coordenação, etc.

Mas presumindo que não vamos somente estudar os aspectos do movimento da corrida, quais os aspectos fisiologicos que devemos levar em consideração no treinamento de corrida?
Existem dois tipos de instrumentos que podemos utilizar para prescrever treinos de corrida:
-Limiar Anaeróbio(Vo2)
-Frequência Cardíaca(FC)

O limiar Anaeróbio leva em consideração os substratos utilizados para cada velocidade de esforço e nos da diversos mecânismos para avaliarmos se o aluno está melhorando. Podemos trabalhar dessa forma, com carácterísticas sub, limiares e supra-limiares. Que tem impactos diveferentes no organismo e por isso resultam em benefícios diferentes. E devem ser organizadas na períodização de formas diferentes.

A Frequência cardíaca, pode ser utilizada de 2 formas, nas quais a melhor é a que leva em consideração a frequência cardíaca basal do indivíduo para que seja possível individualizar um pouco mais as cargas de treino. e Prescrever por % da FC de acordo com o objetivo do aluno e fase da periodização.

Um grande auxiliar na prescrição do treinamento aeróbio e a tabela de Borg. Uma tabela que indica a percepção do esforço que o indivíduo está realizando no momento. Com isso é possível por exemplo perceber se o aluno está na zona de treinamento que você quer( exemplo: um aluno não está numa faixa exaustivo, em um treino recuperativo).

Algumas características do treinamento aeróbio é que é possível integrar um treinamento de musculação para que seja possível render melhor ainda no treinamento aeróbio, gerando assim um menor desgaste articular, ligamentas e aumento do gasto energético.

O grande mito do treinamento aeróbio é que ele é o melhor para emagrecer e que é preciso realizar um treinamento numa "zona de queima de gordura" . O treinamento aeróbio seja ele intervalado ou contínuo é uma grande ferramenta para o emagrecimento, e deve ser utilizada em qualquer tipo de treinamento pois têm diversos benefícios como:
-Aumento da vascularização
-Melhora do fluxo sanguineo
-Aumento do retorno venoso

Mas o trabalho lento e devagar e sempre a chamada "zona de queima de gordura", ela leva somete em consideração qual a maior % de substrato, ou seja, de fonte de energia gasto no treinamento. E esse não é o principal fator para o emagrecimento. O principal fator é o gasto energético total do dia subtraído da quantidade total de energia ingerida. Vendo por esse lado, quanto maior for o gasto energético da sessão de treino melhor para o processo de emagrecimento.
Por isso que hoje é comum se prescrever treinamento intervalados, pois mesmo que o substrato energético seja mais glicogênio do que lipideos, o importante é que a quantidade de energia total, seja maior. E por incrível que pareça, se a intensidade é mais alta, apesar da % de gordura utilizada ser menor, ela ainda assim em número absolutos é maior que a de um trabalho lento e contínuo.
Obviamente que é necessário um trabalho conciente e progressivo, e uma periodização de treinamento elaboradas coretamente, para que seja possível atingir seus objetivos de maneira rápida e eficiente, sem lesões. Abraços e Bons Treinos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário