sexta-feira, 27 de abril de 2012

Treinamento Funcional x Treinamento que Funciona


Eu sou um grande fã do treinamento funcional, mas é importante separar a linha do treinamento funcional circense que não tem objetivo físico nenhum e investir no treinamento funcional de resultado, que é um treinamento programado para evolução do aluno com base ciêntifica e com real objetivo para cada movimento, e não apenas fazer o exercício por fazer.
Para isso é importante colocar a máxima do treinamento funcional:
"Esse exercício vai ter transferência para a prática do aluno?"

Isso quer dizer esse exercício realmente serve para o treinamento do aluno? Isso na verdade é uma parte básica e fundamental que todo treinamento deveria levar em consideração, um exercício só deve ser prescrito se servir para alguma finalidade seja ela melhora esportiva, prevenção de lesão ou bem-estar.

Nessa vertente o treinamento funcional acabou ganhou muita popularidade e ao mesmo tempo uma má fama, pois acabou mesclando exercícios similares aos realizados em diversas práticas esportivas, de maneira positiva como as remadas unilaterais simulando movimentos de judô e jiu-jitsu, e práticas como o nado crawl com elástico que apesar de ser o mesmo movimento não tem transferência para o nado realizado na piscina.

Mas e os demais exercícios? Bolas? Instabilidade? Combinados?
Ainda dentro do treinamento funcional, diversos tipos de exercícios foram trazidos das cinzas como o levantamento olímpico e a medicine ball que são fantástico para diversos propóstios, além disso as plataformas instáveis se usadas corretamente são um grande implemento no treinamento, mas justamente nessa ultima que o maior equivoco ocorre.

Instabilidade: até aonde utilizar?
Os movimentos instáveis devem trabalhar o que eles estão destinados: equilíbrio. Realizar movimento em cima de superficies como discos, bosus, etc. só irá diminuir a solicitação do exercício e aumentar a solicitação das musculaturas abdominal e lombar, isso é positivo em muitos casos, como lesões e atletas de surf por exemplo, mas quem quer ter um bíceps grande, realizar rosca no bosu é uma perda de tempo.

E os Combinados?
Os combinados surgiram de uma maneira a tornar os exercícios mais similares a vida real, o que é positivo se imaginarmos que os primeiros movimentos combinados foi o arremesso do levantamento olímpico. Ainda assim é preciso dosar e saber se ambos movimentos estão sendo eficientes, realizar um afundo com rosa ao mesmo tempo, pode ser um bom movimento se você conseguir realizar um bom estímulo nos 2 movimentos, se você conseguir realizar afundo com 20kgs em cada mão, mas rosca com 5kgs, realizar esse exercício combinado não será produtivo para seu bíceps.


Isso nos leva ao video de hoje que é um movimento muito utíl para atletas de diversos esportes, por exemplo judô, jiu-jitsu, wrestling, mma, e ótimo para quem treina membros superiores no mesmo dia, peito e costas, para conseguir um estímulo unilateral com cargas adequadas e que gaste mais energia.

Lembrem-se sempre de conversar com seu professor para que seja possível deixar seu treinamento mais adequado para suas necessidades.

Abraços e Bons Treinos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário