quinta-feira, 10 de maio de 2012

Overtraining X Overreaching

Como em todas as áreas na educação física muitas vezes os termos acabam por se confundir, isso ocorre com os termos overtraining e overreaching, ambos representam um excesso de treinamento mas de maneiras muito diferentes. Vamos entender o porquê e quando aplicar cada um dos termos e melhor de tudo o que fazer se você estiver passando por um quadro desses.


Falando sobre o excesso de treinamento é dito que TODOS os atletas já passaram em algum momento por um processo instalado de excesso de treinamento, em maior ou menos grau, a partir daí uma parte dos atletas desenvolve alternativas para não voltar a entrar nesse estado (uma conciência corporal de até onde forçar o próprio corpo) e outra parte se lesiona.

Sabendo disso vamos entender a diferença entre os termos:
O overtraining é um processo instalado e sua recuperação pode levar semanas e meses, esse processo pode ser tão severo que mesmo deixando de treinar por um tempo talvez não seja sufiente para recuperar-se totalmente. As alterações musculares, endocrinas, articulares acabam por entrar em processo de degradação.
É comum alterações no peso, fome, sono, rendimento, hormonios e humor.

O overreaching é um processo de excesso de treinamento mais leve que pode até ser planejado no treinamento, é um período que o treinamento supera a capacidade de recuperação do aluno, sem lesiona-lo. Em uma períodização deve vir seguido de um período de recuperação para que seja possível então surpercompensar e melhorar a performance.
Dessa forma o overreaching pode e deve fazer parte de um planejamento de treinamento de atletas de alto nível para levar então o indivíduo a niveis de capacidade física mais elevadas.

Qual o problema do excesso de treinamento?
A linha entre o ideal e o excesso é fina, dessa forma seu treinamento deve ser muito bem planejado, não somente o tipo, mas a quantidade de exercícios, a intensidade, o planejamento macro da semana, do mês e do ano.

Periodização e Opinião Pessoal
Para esclarecer melhor: todo treinamento deve ter no mínimo uma progressão trimestral trassada,  mas é preciso alterar o tempo todo.
Vamos entender:
A periodização mais tradicional onde TUDO é planejamento préviamente cai em uma falha drástica: Nem tudo é perfeito.
Mesmo com atletas temos que entender que problemas acontecem no meio do caminho e é importante realizar adaptações para melhorar o treinamento ao longo do caminho(ajuste fino) e também ajustar constantemente para não gerar um estímulo em excesso gerando assim um processo de overreaching em momento inadequado ou overtraining.

Lembrem-se sempre que quem é capaz de elaborar um treinamento eficiente é seu treinador, converse com ele sempre sobre seus objetivos e dificuldades.
Abraços e Bons Treinos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário