terça-feira, 12 de novembro de 2013

Mudando o estimulo: velocidade de execução

Um dos fatores mais menosprezados no treinamento é a velocidade de execução dos exercícios. Existem basicamente dois tipos de pessoas na academia: as que realizam de maneira lenta e as que executam de qualquer forma para acabar o mais rápido possível o exercício.
Vamos entender como é importante esse fator e como você pode mantendo o mesmo treinamento criar um estimulo totalmente novo e novos ganhos.

Como definir a velocidade: irei utilizar sempre 3 número para descrever a velocidade = 123.
1 significa a velocidade da fase concêntrica do movimento, ou seja, o tempo que você demora para levantar o peso.
2 significa o tempo que você passa na isometria máxima, ou seja, na posição de pico do movimento.
3 significa a velocidade da fase excêntrica do movimento, ou seja, o tempo que você demora para abaixar o peso.

Velocidade: 101
Essa velocidade é excelente para desenvolver força explosiva ou força máxima, mas se o seu intuito é desenvolver hipertrofia, talvez não seja a melhor solução ou talvez não seja a melhor solução a ser aplicada a  longo prazo.

Velocidade: 112
Essa velocidade  é tipicamente utilizada por fisiculturistas, onde mantemos a musculatura sobre um maior tempo sobre tensão, com uma fase excêntrica acentuada e uma contração máxima no topo que ajuda a ativar mais fibras motoras.

Velocidade: 303
Essa velocidade é basicamente um slowmotion da execução tradicional é normalmente utilizada em movimentos que iremos realizar poucas repetições, como alguém aprendendo a fazer uma barra fixa, ou em algum movimento que desejamos aumentar o "pump", tipicamente o último exercício do treino.


É importante dizer que se você realizar outras velocidades você também vai obter resultados, mas é importante entender o porquê você esta executando o exercício daquela forma e se você está utilizando o melhor método para o seu objetivo.

Abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário