sexta-feira, 11 de abril de 2014

O guia do corredor: O tênis

Vamos começar uma série falando sobre corrida, e nada melhor que iniciar já na preparação psicológica para correr, aposto que a primeira coisa que você pensa em fazer é comprar um tênis adequado, afinal você sempre ouviu falar que tênis que não tem amortecimento causa lesões, correto? Ou um tênis que não possuí o seu tipo de pisada, não é verdade?

Diversos estudos sobre o impacto que as articulações sofrem durante uma corrida com diferentes tipos de tênis/sapatos e amortecimento foram desenhados, mas vamos ilustrar o pensamento utilizando 2 estudos um estudo publicado no ( Impact loading in running shoes with cushioning column systems.A Aguinaldo, A Mahar - Journal of applied biomechanics, 2003 ) demonstrando que tênis diferentes, de tenologias muito diferentes, tem impactos similares e (Passive regulation of impact forces in heel-toe running IC Wright, RR Neptune, AJ van Den Bogert) demonstrou que tênis duros e moles,demonstrou que o pico de impacto foi similar em ambos, mas a solicitação muscular foi diferente, ou seja, apenas ocorre uma transferência de forças diferenciada.

Existe ainda uma crescente força no mundo das pesquisas e das corridas a respeito da corrida sem tênis(
Barefoot running M Warburton - Sportscience, 2001), ou ao menos com o menor amortecimento possível, onde é possível alegar que ao menos o ser humano foi feito para correr, e só depois foi inventado o sapato é verdade, mas é preciso analisar com muita calma esse tipo de mudança e principalmente lembrar que devem existir alterações na postura e biomecânica da corrida para que seja possível correr com os tênis "minimalistas". Partindo desse ponto de vista, acho que é possível imaginar que provavelmente aquele tênis com 5mil molas e amortecimento de 20cm, pode não ser o essencial para se começar a correr, não é verdade?

É importante porém ressaltar que se você correr a muito tempo, seu corpo está adaptado a um amortecimento, e o tênis promove além do amortecimento, uma proteção ao seus pés. Mas é importante ficar a mensagem que o tanto de amortecimento que um tênis possuí pode não ser um indicador do quão melhor ele é, ou o que você precisa exatamente.

Existem basicamente 5 tipos de pisadas, muito pronadas, pronadas, neutras, supinadas, muito supinadas, mas para esclarecermos melhor vamos sempre nos referir aos quadrantes pronada, neutra e supinada, pois se você possuí uma pisada em um dos extremos deve procurar um médico e um treinador, afinal esse tipo de pisada vai te levar a problemas articulares no joelho e coluna MESMO que você não corra.

Esse mito de que o tênis tem que estar adequado a sua pisada, está altamente associado com o marketing das empresas. É verdade que existe uma tecnologia por trás do desenvolvimento de cada tênis, e que busca na verdade "corrigir" de maneira artificial, algo que seu corpo não está fazendo corretamente, ou ainda, não está fortalecido o suficiente para realizar de maneira adequada.

Quando pensamos por exemplo em um tornozelo que não possuí muita estabilidade, é possível utilizar tênis que possuam um "cano" mais alto, afim de estabilizar melhor essa articulação (um exemplo disso são os tênis de basquete), mas se pensamos em um atleta de corrida, é perfeitamente possível realizar movimentos de fortalecimento e equilíbrio para ajudar nessa questão.

Um estudo realizado recentemente colocou atletas amadores de todos os tipos de pisada para correr com um tênis neutro ( http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23766439 ), demonstrou que não existe risco aumentado para nenhum tipo de pisada (em especial a pronada que é onde acreditava-se possuir o maior risco).

Por tanto, na hora de comprar seu tênis de corrida, procure experimentar o tênis na loja, ande um pouco com ele, sinta se ele demonstra algum tipo de propensão a desequilibrar seu pé, ou ainda se é leve e confortável, lembre-se que o tênis que tem que se adaptar a você e não você ao seu tênis.

Abraços e Bons Treinos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário