sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Mudanças drásticas na dieta


Estamos terminando um ano e as pessoas tem a tendência de comer em excesso e fazer promessas para iniciar o ano com o pé direito. Nesse sentido uma das coisas que mais observo são mudanças radicais de uma hora para a outra tanto no treinamento como na dieta. Mas será que esse é o melhor caminho?

Da mesma forma que no treinamento eu tenho uma opinião que o estimulo deve ser progressivo, para que você possa evoluir, sem riscos de lesões ou demais complicações minha opinião quanto a alimentação é similar.

Vejo pessoas virando vegetarianas do dia para a noite. Só faltando ir comer no rodízio de carnes no dia anterior para fazer uma "despedida". Ou então cortando o carboidrato como se fosse a solução mágica.

Temos que pensar que nosso corpo é uma máquina, seu carro não funciona sem combustível, não funciona sem óleo e se você não fizer a troca regularmente de alguns componentes ele vai quebrar.

Da mesma forma você precisa de determinados nutrientes para manter um equilíbrio de todas as funções no seu corpo. Uma observação que as pessoas tendem a fazer é "mas eu já cortei o carboidrato da dieta e perdi x kgs", mas você observou quantos % dessa perda de peso era gordura? e quantos % eram de massa magra e ou líquido?

Associar perda de peso com perda de gordura é um pouco perigoso, já que nem sempre todo peso perdido é 100% gordura.

Quando você faz uma dieta sem carboidrato a primeira coisa que você vai perceber é uma queda no seu rendimento tanto mental quanto físico, já que seu corpo está acostumado a usar a glicose como principal fonte energética. A maioria das pessoas acredita que então o corpo passa a usar somente gordura como fonte energética. O que não é verdade.

Seu cérebro só funciona a partir de glicose ou corpo cetônicos, que passa então a ser a única fonte depois de mais ou menos 24hrs sem carboidratos. Obviamente que seu corpo precisa de algumas glicose para algumas funções como por exemplo utilizar a gordura como fonte de energia (ciclo de Krebs) por tanto de onde ele vai tirar essa glicose? Quebrando massa magra!
Seu corpo acaba produzindo um pouco de glicose a partir de proteínas, que pode vir da alimentação ou das proteínas do corpo. Alguém pode falar "mas eu como proteína acaba 3hrs, então se usar proteína vai ser da alimentação", digamos que em parte está correto, o problema é que não armazenamos proteínas da mesma forma que glicose (glicogênio) e ácidos graxos(gordura), a proteína que você consome ou é usada para construir algo, fonte energética ou excretada.
Como você acaba por não armazenas nos períodos que você não pode comer como durante o sono a perda de massa magra é inevitável.

Quando falamos de dietas restritivas as pessoas sempre pensam nos macronutrientes(carboidratos,gorduras e proteínas), mas esquecem de pensar nos micronutrientes(vitaminas, minerais, etc.) e que eles também são fundamentais para o bom funcionamento do corpo. Ou seja, você corta algum tipo de alimento e consequentemente diversos nutrientes que são fundamentais por exemplo para manutenção do seu sistema imune, em consequência começa a ficar doente com mais frequência, ou com algum tipo de distúrbio como insônia.

Tudo isso com um treinamento que passa a ser pífio já que é impossível manter níveis de intensidades adequados (já que sua recuperação está totalmente comprometida) e que não está gerando nenhum tipo de adaptação positiva.

Tudo isso parece bobagem, né? Mas que tipo de resultado essas dietas podem gerar? Você vai passar o resto da vida sem comer carboidratos? Ou pretende volta a comer assim que chegar no peso que "considera ideal"? Em consequência a voltar a comer vai subir o peso novamente e o ciclo se repete.

Infelizmente (ou felizmente) a velha dica é sempre a melhor, você precisa fazer uma reeducação alimentar, procure um nutricionista para lhe ajudar a montar e seguir uma dieta e assim alcançar seus objetivos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário