domingo, 9 de outubro de 2016

A técnica que faltava: Uma repetição e meia

Sempre procuro abranger todas as técnicas possíveis, mas acredito que essa é uma técnica simples que eu utilizo até que com frequência e ainda não tinha falado dela. Vamos entender o porquê ela pode ser ótima para você!


A técnica é mais simples do que se pode imaginar, consiste em realizar uma repetição completa e uma repetição parcial. Simples? Mais ou menos. Essa repetição parcial pode ser a parte inicial do movimento ou a parte final do movimento, isso amplia e muito a sua utilização e o objetivo da técnica em cada exercício.

Por exemplo, no supino é interessante utilizar do peitoral até o meio do movimento para focar no peitoral e do meio do movimento até o final para focar no tríceps. Essa aplicação pode ser utilizada em todos movimentos que você puder imaginar, mas ela tem esse papel de "focar" em uma musculatura nos multi-articulares.

Nos isolados (e nos multi-articulares também) essa técnica vai ser eficiente para deixar a musculatura mais tempo sobre tensão focando em causar mais estresse, principalmente se você estiver trabalhando na porção final do movimento, já que você não vai poder contar com a energia acumulada na fase excêntrica (descida) para realizar a fase concêntrica (positiva) do movimento.

O mais interessante de tudo é que essa técnica é uma variação de execução e não uma técnica de intensidade, ou seja, você pode utilizar ela sempre que quiser e não precisa se preocupar com o excesso de estímulo ou desgaste neural que ela vai causar.

Quando falamos dessa técnica vale ressaltar que você pode optar por fazer 2 movimento diferentes com as duas formas de execução dela, por exemplo:

Supino reto: uma repetição completa e outra parcial na metade superior
Supino inclinado: uma repetição completa e outra parcial na metade inferior

E você pode optar por executar ela de maneira diferentes, não necessariamente ficando restrito a 1 completa para uma parcial, podendo ser 1 completa para 2-3 parciais, ou 2-3 completas para 1 parcial.

Não existem regras fixas, mas idealmente você não realiza mais que 5 parciais sem nenhuma completa (não existe regra para a opção contrária), pois assim você garante que está treinando ainda com a amplitude máxima em algumas repetições e não fortalecendo excessivamente somente uma porção do movimento, o que tornaria difícil a transferência dessa força para o movimento completo.

Abraços e Bons Treinos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário