segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Abdominais para queimar a gordura abdominal?

É comum ver promessas de treinamentos que possam ajudar a reduzir a gordura acumulada na região abdominal, mas será que isso é verdade? Será possível diminuir diretamente a gordura corporal acumulada em alguma região?
Primeiramente é necessário entender que utilizamos algumas fontes diferentes de energia para realizar exercícios, essa fonte de energia que vamos utilizar para realizar qualquer atividade vai depender da sua disponibilidade e da intensidade e duração do exercício.

Um fato simples é que não vai faltar gordura para que possamos utilizar como fonte energética, mas apesar de ser a fonte mais abundante ela não é a de mais rápida utilização, por isso em atividades intensas e de curta duração nosso corpo tende a utilizar principalmente os carboidratos estocados (glicogênio) ou circulantes (glicose) e em atividades de mais longa duração e menor intensidade utilizar a gordura como fonte de energia.

Mas não conseguimos controlar de onde vem essa energia a ser utilizada. Quando falamos de glicogênio acumulado em determinada musculatura ele é prioritariamente utilizado, pois já está disponível para uso na musculatura, mas apesar de existir uma quantidade pequena de gordura nas fibras musculaturas (triglicerídeos intramusculares) a gordura está em sua grande maioria localizada no tecido adiposo (que está localizado em diversas áreas do seu corpo, tanto sob a pele como entre os órgãos) e para utilizarmos a energia provinda deles ainda temos que tornar a gordura circulante e 
oxidá-la. Como temos estoques de gordura "espalhados" pelo corpo, acabamos mobilizando de todos eles.

Existem diversos estudos comparando a utilização ou não de exercícios abdominais para perda de gordura abdominal, como o estudo publicado no J Strength Cond Res. em setembro de 2011 (doi: 10.1519/JSC.0b013e3181fb4a46), onde foi analisado a utilização de abdominais por 6 semanas, comparado a um grupo controle, no qual a alimentação foi contralada em ambos os grupos. Ao final das 6 semanas, não ocorreu nenhuma diferença no peso corporal, na circunferência ou gordura abdominal, a única diferença foi realmente na força abdominal.

E esse é o ponto fundamental para realização de exercícios abdominais: o fortalecimento dessas musculaturas vai melhorar a sua capacidade de estabilização da coluna e consequentemente sua postura, além de permitir uma maior eficiência nos demais exercícios que necessitem de estabilização da coluna, como por exemplo, movimentos com pesos livres.

O abdominal vai ajudar a deixar sua musculatura mais forte, mas você não conseguirá enxergar a definição da sua musculatura abdominal a menos que sua porcentagem de gordura corporal esteja abaixo dos 10%.

Agora apesar de abdominais não serem o melhor exercício para melhorar a sua composição corporal uma seleção adequada de exercícios pode ser um eficiente aliado, juntamente com uma reeducação 

alimentar.

A prática de exercícios tanto aeróbios (corrida, bicicleta, natação) quanto anaeróbios (musculação, corridas intervaladas) são importantes tanto para a manutenção da saúde quanto melhora da sua composição corporal. E se engana quem pensa que para perder gordura devemos nos concentrar somente em exercícios aeróbios.

Há muito tempo já foi comprovado que a prática de exercícios de musculação promove redução de peso corporal similar a do exercício aeróbio, com um benefício de ajudar na manutenção da massa magra (Effects of strength or aerobic training on body composition, resting metabolic rate, and peak oxygen consumption in obese dieting subjects. Am J Clin Nutr setembro 1997), mas como seria isso possível se falamos que para utilizar gordura durante o exercício ele precisa ter uma intensidade baixa e de longa duração?

Para o seu corpo o substrato que ele vai utilizar durante o exercício não é o determinante fundamental para o resultado no seu corpo. Mesmo que durante a atividade você utilize mais glicogênio, seu metabolismo vai “acelerar” fazendo com que durante o descanso você acabe por metabolizar mais gordura corporal. Isso ocorre tanto pelo aumento de gasto energético durante a recuperação, quanto à necessidade de repor os estoques energéticos que resultará em um acumulo de energia dentro das musculaturas (em forma de glicogênio) ao invés no adipócitos (gordura).

O treinamento por tanto tem como principal função a manutenção da saúde, fortalecimento das musculaturas e aumentar seu gasto energético, facilitando o processo de perda de gordura. Não existe milagre, mas o exercício físico é parte fundamental para a melhora e manutenção da composição corporal à longo prazo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário